Relatório State of Agile RH 2020

Relatório State of Agile RH 2020

A algumas semanas compartilhei no instagram da empresa algumas citações do livro Grandes Líderes de Pessoas, uma compilação das entrevistas feitas pela Daniela Diniz com alguns dos maiores líderes de recursos humanos aqui no Brasil. Bom, um ponto que me chamou a atenção foi a citação:

“Acho que o RH sempre se colocou à parte do negócio porque sempre teve de lidar transversalmente na empresa. Tem um olhar cross. O RH é parte do negócio e só tem função por que existe o negócio, mas isso depende de cada profissional. Você pode fazer tudo sem se envolver com o negócio: contratar, pagar, promover, demitir ou você pode fazer se envolvendo.” (Lilian Guimarães)

Essa citação me fez pensar no como as transformações e mudanças no mundo tem impacto todas as formas de trabalho e claro que isso não é diferente no contexto do RH. Dave Ulrich já falava que o papel do RH é sua capacidade de leitura do que vai acontecer e preparar a empresa para isso e que 75% dos cargos existentes serão completamente diferentes no futuro.

Recentemente tive acesso ao relatório de estado do RH ágil e que baliza algumas coisa bem interessantes sobre como a agilidade tem se comportado no âmbito do RH. A Organize Agile conduziu um estudo junto a Universidade de Ciências Aplicadas de Utrecht, na Holanda pra dar uma compreensão do status atual do RH Ágil no mundo sendo a primeira pesquisa anual junto a líderes de RH e profissionais da área de todo o mundo, com presença de empresas brasileiras de Varejo, Tecnologia e Bens de Consumo. Se quiser acesse o relatório na integra.

Como podemos ver, os desafios da área de RH são os mesmos que encontramos em outras áreas, tais como: respostas rápidas as mudanças, melhorar os resultados do negócio, criar cultura produtiva, motivar colaboradores e etc. Outro ponto importante a se destacar é como o RH precisa se posicionar na visão estratégica do negócio. Já a algum tempo que a posição do RH não é mais a citada pela Lilian de só contratar, demitir, etc. Estar alinhado ao negócio é extremamente importante para a sobrevivência das organizações e claro do RH.

Talvez você esteja se perguntando, bom então já que estamos num cenário de plena mudança em que várias profissões não existiram num futuro próximo (parafraseando o David Ulrich). Por que o RH vai continuar? Será que ele é importante? Será que ele está se moldando às transformações que estamos vivenciando? Esse questionamento também foi realizado e o interessante é como o RH está se tornando cada vez mais estratégico para as organizações. Veja que apenas 2% acharam que o RH está se tornando menos importante dentro das organizações.

Minha percepção é de que existe um desejo da liderança de ter cada projeto planejado em cada passo. Eles estão acostumados a ter planos de projetos ultra planejados. Agora que estamos dando tração aos projetos utilizando métodos ágeis, tudo é mais vago. Tenho uma data limite, mas o escopo é fluente, pode mudar agora ou depois.
Existe uma barreira neles de aceitar e se tranquilizarem. Acredito que alguns líderes é um grande desafio confiar e
dizer “Estou tranquilo em não saber de tudo”, porque este é o melhor jeito de operar em projetos como este. Eles acham que ter uma via mais tradicional, dá a eles uma maior certeza.
(Isabel Sanz, Diretora de Sistemas e Informações de RH, Palo Alto Networks).

Ok, ok, nesse momento você deve estar concordando que o RH é estratégico e deve apoiar o negócio, mas a pergunta é como? Bom o relatóiro traz uma visão interessante de 4 níveis em que os departamentos e profissionais de RH podem testar e aplicar os princípios ágeis.

No passado, o RH não conseguia responder rapidamente ao avanço do negócio ou à perguntas da própria empresa. Isto mudou bastante. Existe agora apenas um time responsável pelo calendário de mudanças, ao utilizar gestão de portfólio. Estes itens não apenas nos dão maior clareza entre os vários
fatores em jogo, mas também nos ajuda a escolher em que focar no trimestre. (Floortje van de Laak Agile Coach, antes Consultor Interno de RH, Achmea Insurance
)

Talvez você acredite que a adoção da agilidade no RH esteja restrito a algumas ações ou aspectos do trabalho realizado. Quem sabe, somente o uso de um framework ou até mesmo uma visão de que é modismo, afinal de contas todos estamos falando de agilidade e é a nova tendência da moda como foi nos movimentos de Gestão do Conhecimento, Gestão de Pessoas, RH Estratégico e Business Partner. Bom, dá uma olhadinha então nas áreas que a agilidade ta impactando.

É claro que nem tudo são flores e que como todas as áreas temos desafios importantes para vencer. Entre eles o relatório destaca a adoção do Mindset ágil e o necessidade de torná-lo parte integral da cultura das empresas. Claro que para isso é necessário primeiro que tal mentalidade esteja sendo vivenciada no RH para que então possa ser disseminado na organização como um todo. Outro ponto importante é como as lideranças devem ser desenvolvidas nesse ambiente complexo e imprevisível? Que tipo de liderança as organizações precisam e como as habilidades e comportamentos que vêm com essa necessidade podem ser definidas e reforçadas? Além disso, o RH tem tido um papel de coadjuvante das Transformações Ágeis nas organizações, já que muitas das iniciativas são tomadas em outras áreas da organização e o RH não se envolve ou não quer ter um papel para fazer com que essas grandes mudanças sejam bem-sucedidas.

Bom é isso pessoal, leiam o relatório, tirem suas conclusões e se quiserem saber sobre outros assuntos deixa nos comentários. Abraços a todos!

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *